Regras de negócio: Conheça as etapas principais

Sabe o que são regras de negócio? As regras de negócio são premissas e restrições aplicadas a uma operação comercial de uma empresa que precisam ser atendidas para que o negócio funcione de maneira esperada.  Uma regra deve fazer parte de um processo, mais precisamente como parte de uma atividade humana ou automática. Em ambas as atividades a análise do cenário atual é necessária para que se ENTENDA e DOCUMENTE as regras de negócio da atividade e do respectivo processo:

  1. Relevância no processoagregação de valor ao negócio em si.
  2. Reduzir o gap entre a documentação e a execução  do projeto. Validação do conhecimento explícito com o conhecimento tácito.
  3. Mapeamento do fluxode execução das regras (entradas, processamento e saídas).
  4. Incidência de execuçãode cada regra (volumetria, processos correlacionados e tempo de execução).

Em posse destas informações, as regras precisarão ser revisadas para identificação de gargalos, duplicidade e relevância no processo para que possam ser modeladas, melhorando as regras atuais ou transformando-as em novas regras mais efetivas ao negócio.

REGRAS DE NEGÓCIO QUE PRECISAMOS OBTER:

  1. Entrada – (informações, dados a serem processados e formato de entrada).
  2. Processamento – (sistemas, bases de dados e quantidade de execuções).
  3. Saída – (respostas esperadas, sistemas que acessarão ou consumirão as regras e formato de retorno).

ONDE PODEREI GERENCIAR ESTAS REGRAS?

Em um Motor de Regras de Negócio podemos criar e integrá-las a base de dados ou a serviços web de diversos sistemas e fornecedores para definição do processamento e definição da resposta do processamento como retorno ao sistema que iniciou a execução em questão.No motor de regras a simulação torna-se um grande diferencial, permitindo que antes da disponibilização das regras de negócio em produção, as mesmas poderão ser analisadas com dados reais.

Um item muito importante que poucos fabricantes e especialistas dão a devida atenção é o desempenho da execução, tanto da regra de negócio, quanto do motor de regras de negócio, sendo que este desempenho deve ser analisado juntamente com as simulações para que no caso de gargalos, os mesmos possam ser tratados em um ambiente controlado e sem afetar a produção do dia a dia.

Após ajustes, definição das regras de negócio e disponibilização em produção, elas precisam ser monitoradas e controladas para verificação contínua de execução, disponibilidade e desempenho.Outro fator importante no monitoramento é a identificação de incidências das regras, pois pode haver situações em que uma regra, inicialmente identificada como primordial ao negócio, possui uma execução baixa ou o resultado de retorno é baixo.

Nestes casos uma nova análise deve ser feita e o ciclo de melhoria contínua, como de processos, deve ser iniciado.

Gostou dessa publicação?

Veja também como utilizar um BPM para vendas e negócios aplicando as regras desse artigo.

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *