Quais são as principais estratégias de Gestão de APIs?

A API (Interface de Programação em Aplicativos) consiste em um conjunto de padrões que se interligam a outros sistemas, funcionando paralelamente. Para obter as vantagens disso, assim como a segurança, é necessário ter uma gestão de API.

O gerenciamento ajuda no controle e na automatização dos processos das interfaces, o que possibilita planejar e integrar todo o sistema, para que se possa criar uma experiência fluente de uso e totalmente transparente para o usuário final.

O que são estratégias de gestão de API e por que são importantes

A API (Interface de Programação em Aplicativos, em português) é cada vez mais utilizada. Pode-se citar, como exemplo, os sites que permitem o acesso pelo Facebook e as lojas virtuais que direcionam compradores para operadoras de crédito.

Por meio da gestão de API, é possível conferir a segurança, analisar relatórios de desempenho, reparar falhas e muito mais. Portanto, vale a pena conhecer as principais estratégias para realizar uma boa gestão de suas APIs..

Principais formas de gerir API

Diversos recursos podem ser aplicados para controlar a interface de programação em aplicativos.

Uma delas diz respeito ao monitoramento. Todas as APIs precisam ser verificadas frequentemente através de seus monitoramentos e testes automatizados para analisar sua disponibilidade e sua tolerância a falhas. Essa prática previnem falhas ou indisponibilidade que possam vir a prejudicar o sistema e o negócio como um todo se for uma API de missão crítica, como por exemplo.

Para garantir a segurança e integridade do usuário, é importante aplicar ações de controle de acesso, filtragem por IP, escopo de dados de retorno, além do monitoramento. Outro aspecto relevante é o nível de integração, afinal, esse é um dos benefícios das interfaces.

Para escolher qual é a melhor estratégia para gestão de API em um negócio, vale a pena considerar:

  • solução escalável: por não ser possível prever os momentos de alta demanda, é fundamental dispor de uma gestão que possa crescer rapidamente e diminuir conforme o uso;
  • política de privacidade: se o sistema precisar hospedar informações, a política de privacidade deve estar alinhada às normas do negócio e da localidade;
  • mecanismos de segurança: a ferramenta de gestão também precisa dispor de meios de proteção (tokenização, criptografia, duplo fator de autenticação, etc.);
  • recursos de monitoramento: é importante saber quais funcionalidades a gestão pode oferecer.

As APIs podem trazer muitas vantagens para seu negócios, pois permitem automatizar fluxos de trabalho. Porém, para obter o máximo dos benefícios para o usuário e, consequentemente para a empresa, é preciso ter uma boa gestão desse conjunto de padrões.

Gostou de entender como funciona e pensar nas estratégias de gestão de API? Confira mais artigos no blog da Lecom!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.