Para gerir melhor: O BPM aplicado à Gestão da Qualidade

Gestão, Padronização, Acompanhamento, Processos, Qualidade, Melhoria Contínua, Não Conformidades, Controle, Indicadores, Documentos, Planos de Ação… Para quem convive diariamente com esses termos, chega a ser impossível dissociá-los ou enxergá-los isoladamente. A realidade, que pode ser constatada a cada dia mais nas corporações, é que o crescimento nos níveis de produtividade, eficiência e eficácia está diretamente relacionado à forma com a qual a organização vê e gerencia seus processos.  As possibilidades de geração de resultados através do BPM existem em todas as áreas de uma organização, justamente por não se limitarem à visão departamental, e sim proporem a visão de processo.

Uma área organizacional específica e que tem muito a ganhar com a melhoria nos processos organizacionais como um todo – em todos os níveis e setores – e também, especialmente, tem muito a ganhar com a gestão aplicada a seus processos principais. Quando falamos na área de Gestão da Qualidade, é possível afirmar que esta está totalmente ligada ao aumento de produtividade corporativa como um todo, pensando a padronização e a melhoria contínua da corporação através de técnicas e processos específicos do setor como: Gestão de Não Conformidades, Atendimento aos Clientes, Gestão de Documentos, Gestão de Indicadores e Gestão de Planos de Ação.

Pensando na relevância que o assunto Gestão de Processos tem e deve ter aos profissionais envolvidos na Gestão da Qualidade, Tiago Amôr, diretor de operações da Lecom, desenvolveu uma publicação que trabalha alguns pontos-chave de interação entre estes dois assuntos e algumas áreas em que a intervenção tecnológica pode ser estratégica. Acesse!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.