O Que é o RPA com Capacidade Cognitiva e Quais as Vantagens de Utilizá-lo?

Ferramentas de RPA são capazes de reproduzir diversos comportamentos repetitivos humanos, normalmente os que envolvem tarefas mecânicas. Entretanto, aquelas com capacidade cognitiva vão além, e oferecem mais possibilidades de automação.

Quer entender mais sobre essa tecnologia? Leia este artigo e veja também o que você pode ganhar ao aplicá-lo aos seus fluxos!

O que é RPA com capacidade cognitiva?

A tecnologia de RPA apresenta soluções que podem contribuir muito para a eficiência operacional da empresa, não só em termos de liberar os trabalhadores para outras funções, mas também no sentido de realizar atividades que não poderiam ser delegadas a colaboradores, como tirar repetidos prints de uma tela, repetir códigos em um sistema ou programar impressões.

Em resumo, a capacidade cognitiva é um subconjunto de funcionalidades para uma ferramenta de RPA. É indicada principalmente para o trabalho com dados e outras operações e/ou informações que exijam uma interação humana mais específica, com aplicação de conhecimentos ou técnicas aos quais nem sempre os sistemas automatizados têm acesso.

Portanto, quando falamos de um modelo de RPA com capacidade cognitiva, também chamado de RCA (Robotic Cognitive Automation), estamos falando não só de uma ferramenta que pode reproduzir o trabalho de humanos, mas também que pode fazer análises e, em médio e longo prazo, aprender até mesmo a tomar decisões mais efetivas para certos processos de negócio.

Entretanto, há um ponto de atenção para quem deseja usar a RCA: por ser específica e necessitar de mais “conhecimento” para trabalhar, a sua configuração é um pouco mais complexa, e exige mais códigos e uma programação robusta, diferentemente das RPAs com menos tecnologias, que entram no modelo low code na maioria das vezes.

Vantagens do RPA cognitivo

Por apresentar uma tecnologia mais avançada, o RPA cognitivo permite a automação de processos mais abrangentes e complexos, como a estruturação e armazenamento de dados, o aprendizado e até mesmo a verificação preditiva de resultados. A ferramenta pode, por sua capacidade cognitiva, prever possibilidades por meio do que já aprendeu e da análise de informações obtidas, gerando relatórios e resumos.

Além disso, ela permite uma integração muito mais ampla e eficiente com diversos outros sistemas, inclusive outras plataformas de automação, como um BPMN.

Isso porque, por suas habilidades de análise e efetivação de resultados, ele oferece possibilidades que aumentam a visibilidade da empresa como um todo, ampliando a compreensão dos fluxos para uma possível otimização de processos em todas as áreas.

Quer entender mais sobre esse assunto? Confira o blog da Lecom e aproveite para conhecer as nossas soluções para o seu negócio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.