Os processos são uma parte “viva” de toda organização

Os processos já estão otimizados. Mas e agora? Você descobriu os gargalos em seus processos. Documentou precisamente e colocou em prática métricas que podem ser controladas de forma objetiva. Dessa forma, as melhorias iniciais nos processos já foram concluídas e os indicadores estão indo bem.

Mas qual é o próximo passo? A melhoria dos processos não é uma atividade acabada. Ela deve estar em constante desenvolvimento e evolução. Você pode ter melhorado o processo hoje, mas o que fazer no dia de amanhã, no próximo mês ou no próximo ano? No ambiente organizacional contemporâneo, a única constante é a mudança.

Desta maneira, os processos podem ser interrompidos por uma série de razões:

  • Pessoas – Colaboradores vem e vão, além de que suas responsabilidades também podem mudar.
  • Produto – Sua empresa pode mudar o seu produto ou serviço.
  • Tecnologia – Novas ferramentas [de hardware , software , etc] podem alterar os processos.
  • Melhoria da experiência do cliente – É sempre possível otimizar o tempo de resposta à demanda dos clientes, o preço dos produtos e serviços e sua qualidade.

Podemos concluir que os processos são uma parte “viva” da organização. Ou seja, os processos estão em constante mudança, devido às mais variadas razões. Se os processos estão mudando a todo momento, não devem mudar também as abordagens de melhorias à eles? Compartilhe conosco sua opinião!  🙂 [divider] [/divider] Post originalmente publicado no BPM Leader e traduzido pelo Blog Lecom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.