O Cenário atual e a Evolução do Gerenciamento de Processos de Negócio nas organizações brasileiras – Parte III

Mapeamento do Histórico e Status atual das organizações que trabalham com BPM

seloDando continuidade à nossa série sobre o Cenário Atual do BPM brasileiro, hoje abordaremos o histórico e o status atual das organizações que trabalham com BPM.

Em nosso último post abordamos o perfil dos profissionais que trabalham com BPM e hoje vamos conhecer o histórico da organização no que tange o Gerenciamento de Processos de Negócio, bem como sua experiência atual com o tema. Nesta parte, foram obtidas informações sobre o tempo de experiência da organização com BPM, como a área compõe a estrutura organizacional e o entendimento do tema de forma geral.

Dessa forma podemos compreender a situação atual de BPM nas organizações. A partir do gráfico 6, pode-se observar que a maior parte das organizações participantes trabalha com Gerenciamento de Processos de Negócio há menos de 3 anos, isto é, 63% do total. A parcela restante, de 37% das organizações, possui um tempo maior que 3 anos de trabalho com BPM.

grafico6

Ao analisar os motivos para o início do trabalho com BPM, percebemos que a maior parte dos representantes das organizações enxerga o Planejamento Estratégico como motivador para adoção desta disciplina. Além disso, é possível observar que a implementação de modelos de referência ou sistema de ERP, adequação para a ISO 9000/9001 e o Modelo da Qualidade Total (Total Quality Management – TQM) também se destacam como mecanismos motivadores da implementação do BPM.

Os demais temas como Lean, Seis Sigma e Custeio ABC foram considerados como fatores de motivação por uma quantidade menor de organizações. Nas organizações que trabalham há menos de 3 anos com BPM, predominaram entre os motivadores o Planejamento Estratégico, Implementação de modelos de referência de TI e sistema ERP e Modelo da Qualidade Total (TQM).

Já nas organizações que trabalham há mais de 3 anos com BPM, predominaram os motivadores ISO 9000/9001, Lean ou Seis Sigma e Custeio ABC, os quais tiveram participação de 51%, 52% e 53% do total, respectivamente.

tabela1

De modo geral, percebemos uma tendência atual das organizações iniciarem suas experiências com BPM principalmente devido ao Planejamento Estratégico, conforme observamos na tabela anterior. Em relação à visão que o profissional tem sobre o entendimento de BPM pela organização, uma maioria de 63% informou que BPM é uma abordagem para melhoria e gestão do desempenho organizacional. Contudo, uma parcela significativa de 16% apontou que ninguém fala em BPM na organização.

Também pode-se observar na tabela 2 que 71% dos profissionais que acreditam que “Ninguém fala em BPM na organização” trabalham em organizações que não possuem Escritório de Processos. Em contrapartida, 70% daqueles que selecionaram a primeira opção, isto é, “BPM é uma abordagem para melhoria e gestão do desempenho organizacional”, trabalham em organizações que possuem Escritório de Processos.

Dessa forma, podemos concluir que os profissionais que trabalham em organizações com Escritórios de Processos possuem melhor compreensão sobre Gerenciamento de Processos de Negócio, enquanto aqueles, cujas organizações não possuem Escritório de Processos, acreditam que esse tema não é tratado entre os colaboradores.

grafico8

O gráfico 9 permite visualizar que 61% das organizações que participaram da pesquisa possuem Escritório de Processos, enquanto que 39% estão representados por organizações que não possuem uma área de processos na organização.

Ao analisar estes resultados, percebemos que as organizações que possuem Escritório de Processos se referem àquelas cuja receita anual é maior que 300 milhões de reais, sendo que 70% delas possuem Escritório de Processos. Ou seja, é possível fazer uma correlação no fato de que as empresas que possuem maior volume de receitas apresentam iniciativas de BPM bem estruturadas.

Ao comparar a existência de Escritório de Processos pelo tempo que a organização trabalha com BPM, identificamos que as organizações que trabalham há menos de 1 ano com BPM apresentam o menor percentual com Escritório de Processos, ou seja, 43% delas.

grafico9 tabela3 tabela4

Quanto às organizações que possuem Escritório de Processos, pode-se observar que 24% delas está inserida na área de Tecnologia da Informação e outra parte significativa de 18% se subordina a uma Assessoria ligada ao nível Executivo. Em outras palavras, pode-se dizer que o BPM tem sido encarado como uma iniciativa que envolve o alto escalão das organizações, ou seja, está inserido no contexto de melhorias estratégicas nas organizações.

grafico10

É possível observar no gráfico 11 que a grande maioria dos Escritórios de Processos das organizações possui até 2 profissionais trabalhando formalmente na área, representando 40% do total. Verifica-se também que a segunda maior parcela das organizações, de 29%, possui de 3 a 5 colaboradores atuando no Escritório de Processos.

grafcio11 Continue ligado em nossa série! Na semana que vem lançamos o próximo post. Para acessar a pesquisa completa basta clicar aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.