A Lecom no Social Media Brasil #4

Este é o quarto post de uma série da autoria da colaboradora da Lecom, Tainah Veras, que acompanhou de perto o Social Media Brasil, evento do qual já falamos aqui no Blog Lecom.

Essa é mais uma etapa da cobertura do Social Media Brasil, evento realizado nos dias 24 e 25 de junho em São Paulo. Confiram agora uma entrevista exclusiva com Miguel Dorneles, gerente de operações e produtos digitais da Fox do Brasil, e um dos apresentadores do evento.

 

Além disso, apresentarei um breve resumo de outras palestras realizadas no evento, ambas no segundo dia, começando com a apresentação “E-commerce, marketing social, informalidade – A evolução no comportamento do varejo”, realizada por Roberto Andrade.

O palestrante iniciou com um dados impressionantes: de acordo com o Journal of Eletronic Commerce, o e-commerce é o ambiente de negócios que mais cresce no planeta, e movimenta 1, 8 bilhões de internautas. Os pilares que sustentam essa atividade são a Economia, a Variedade, a Segurança e a Simplicidade, e é importante ressaltar que é um erro repetir os modelos de compra e venda off-line no espaço on-line. Roberto apontou algumas tendências como a experiência de compra em tempo real, a realidade aumentada, os sites interativos virtuais, o mobile commerce, e as facilidades on-line em lojas físicas. Unindo alguns desses conceitos com o marketing social, o palestrante criou a NINUI, primeira plataforma gratuita de negócios na internet especializada em mercados de nicho. O foco está em micro e pequenos empreendedores, e a iniciativa capacita digitalmente esse público para possibilitar que eles vendam seus produtos on-line. Essa iniciativa mostra a força do Brasil em agregar relacionamento e solidariedade na utilização da internet! E falando em tendências, aproveito para mencionar sobre a palestra “Mobile, Hiperlocalismo e Realidade Aumentada”, ministrada por Terence Reis, da Pontomobi. O profissional pontuou as características particulares ao mobile em uma era “Inline” (permanentemente interativa), como o fato de permitir a interação em movimento e a absorção e abrangência ao contexto; para isso, o conteúdo criado deve levar em consideração as necessidades e interesses em determinado tempo e espaço, a fim de conectar pessoas e marcas.

Isso tem a ver com o hiperlocalismo, caracterizado pelo imediatismo implantado no ambiente com o qual interagimos em dado momento. Terence mostrou algumas ferramentas criadas para esse universo mobile, ilustrando as formas de atuação nessa área.

No próximo post, o último da cobertura, falaremos sobre ROI das mídias sociais, engajamento do consumidor, e atividades do profissional de Relações Públicas nesse universo atual. Até lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.