BPM e a análise de processos

Sempre falamos sobre processos de negócio, BPM, gerenciamento de processos, entre outros. E agora abordamos um tema ainda não explorado aqui no Lecom em Ação, falamos hoje sobre uma etapa muito importante em um processo BPM: Análise de processos. Baseado no CBOKGuia para o gerenciamento de processos de negócio, que é mantido pela ABPMP (Association of Business Process Management Professionals), a análise de processos tem um capítulo inteiro dedicado ao assunto e isso não significa complexidade, mas sim, detalhismo. Vamos ao que interessa… Contextualizando o tema, segundo o CBOK “criar um entendimento comum sobre o estado atual dos processos e seu alinhamento com os objetivos de negócio. A criação desse entendimento comum é denominada análise de processos.” Ou seja, a análise de processos é um conjunto de atividades para atingir um objetivo.

Para começar a análise, é necessário um estudo do ambiente de negócio, conhecer os fatores internos e externos que podem impactar ou sofrer impacto do processo, além da interação com ele, há também as pressões de mercado e concorrência. Outros fatores que influenciam a análise incluem o ramo de atuação, estratégia da empresa, necessidades dos clientes, valores, liderança e cultura, e como o processo irá acontecer para atingir os objetivos de negócio. E então há o uso de técnicas especificas como mapeamento e simulações, dentre outras metodologias, para se chegar a um resultado. As pessoas envolvidas no processo devem estar de acordo com as informações obtidas e esse resultado deve refletir o real e ter uma visão imparcial do processo. E por que fazer toda essa análise? Tais informações obtidas oferecem decisões mais assertivas e proporcionam a medição da efetividade e desempenho do processo, consequentemente, o resultado possibilita rever a estratégia, as partes interessadas, atuais ineficiências, regras de negócio envolvidas, e as métricas para monitoramento.

Tal análise deve ser feita sempre que necessário, por exemplo, se há em uso métricas e constantemente apontam um resultado diferente do esperado, é hora de refazer a análise. Em outras palavras, essa análise é essencial para a empresa que deseja adotar o BPM como ferramenta de trabalho. O assunto tem diversas abordagens e frentes a serem exploradas, mostramos aqui apenas a pontinha do iceberg.

Acompanhe aqui no blog Lecom a continuação desse e outros temas explorados no CBOK. Compartilhe conosco a sua opinião! Referência: ASSOCIATION OF BUSINESS PROCESS MANAGEMENT PROFESSIONALS. CBOK – GUIA PARA O GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO: informação e documentação: referência – elaboração. Brasil, 2009.

1 comentário


  1. Concordo que a analise dos processos de negócio envolve as seguintes ações:

    – Análise e tomada de conhecimento de como o processo ocorre (AS IS);
    – Determinação dos responsáveis pelas atividades;
    – Definição das informações necessárias para cada atividade;
    – Indicação dos prazos esperados para a execução de cada atividade do processo.

    Vejo desta forma, que o processo de negócio fica claramente conhecido, dentro de um adequado registro metodológico, em um nível que permita sua compreensão e a obtenção satisfatória dos seus objetivos.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.