Automação de processos: o antes e o depois das cooperativas brasileiras

Compartilhe

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Embora falar sobre transformação digital tenha se tornado corriqueiro, principalmente no mundo pós-pandemia, quando se pensa nas cooperativas brasileiras há algumas particularidades.

Pesquisas mostram que quase 90% das cooperativas consideram a transformação digital prioridade para a adaptação ao novo mercado. No entanto, mais de 55% dos gestores ainda têm dificuldade para desenvolver serviços adequados ao mundo pós-pandemia. 

Para entender esse movimento, precisamos destacar que o cooperativismo no nosso país é um modelo de negócios tradicional, geralmente marcado por processos analógicos. 

E embora as cooperativas estejam crescendo (assim como as oportunidades), a grande dúvida das diretorias é sobre por onde começar suas jornadas de digitalização.

Cooperativas em expansão vs. automação de processos

Ao longo de nossa experiência, percebemos que os principais gargalos de produtividade das cooperativas estão relacionados aos processos.

E com o crescimento do sistema cooperativista, surge a necessidade de olhar para esse desafio de forma controlada, organizada e estruturada. Afinal, com o aumento da demanda, é de extrema importância acompanhar o andamento dos processos operacionais para ganhar eficiência.

Nesse cenário, as cooperativas vêm percebendo a necessidade de automatização, já que os fluxos manuais não comportam mais as necessidades do novo mercado

Não é à toa que um levantamento da PwC constatou que cem por cento das cooperativas de crédito concordam que as tecnologias digitais podem beneficiar o setor, e que a automação de processos aparece como uma das principais soluções para reduzir custos, melhorar o dia a dia e transformar a jornada do cooperado por meio de experiências incríveis.

Hoje, os associados exigem velocidade. Mas isso não é tudo: é preciso assertividade, controle e inteligência na execução dos processos.

Nesse contexto, o primeiro passo é descobrir o que é importante para o cooperado. Essa também é a hora certa para identificar gargalos, corrigi-los, e, então, realizar  a automatização. 

Para as cooperativas, a regra da vez é o digital

Por natureza, o sistema cooperativista precisa lidar com muitos fluxos diferentes, e os atrasos ou gaps de eficiência podem afetar diretamente o associado. 

Na era da Customer Experience (CX), a entrega de valor para o cliente tem papel central nas operações dos negócios bem-sucedidos. 

Para isso, as cooperativas precisam investir em inovação e produtividade, revendo modelos operacionais para atender melhor às demandas do novo perfil de cooperados, que são ao mesmo tempo clientes e donos do negócio.

Além desse aspecto, na era pós-pandemia o sistema cooperativista tem outros desafios pela frente: o equilíbrio das finanças e o cumprimento do papel social.

Felizmente, a automação de processos vem facilitando esse caminho. Ao colocar as pessoas no centro do negócio, a experiência do associado passa por transformações importantes, o que contribui, inclusive, para a expansão do sistema e para a ampliação do conhecimento sobre esse modelo de negócios. 

Quando boas experiências são compartilhadas no oferecimento de serviços de valor para o associado, as chances de o usuário satisfeito indicar o serviço para outros clientes em potencial são ainda maiores. 

É preciso descomplicar a automação de processos

Já está claro que o processo de digitalização é uma necessidade. Mas para o projeto de automatização de processos dar certo, o conselho, a diretoria e todos os colaboradores precisam comprar a ideia para ajudar na mudança de cultura da cooperativa. 

Um dos grandes entraves nas jornadas de transformação digital é a resistência das pessoas ao novo. 

Os colaboradores tendem a temer a perda de espaço e seu protagonismo. Por isso é fundamental que a diretoria participe ativamente da jornada para mostrar que a automação tem como objetivo oferecer benefícios para toda a organização.

Falando sobre o assunto, vale destacar que todas as áreas das cooperativas vêm se beneficiando desse investimento, como, cadastro, limites e riscos, crédito, RH, jurídico, financeiro, compliance, administrativo e comercial.

Com a automação de processos, fluxos lentos, como, por exemplo, o trânsito de documentações, apresentam mudanças drásticas. Não é difícil encontrar casos de fluxos que levavam 20 dias para serem concluídos, e que agora são totalmente realizados em apenas 10 minutos.

Os resultados são rápidos, visíveis e rastreáveis. A melhora da eficiência com o SLA ajustado, a redução de retrabalho e o ganho de agilidade são rapidamente percebidos pelas cooperativas.

Como a automação de processos está aumentando a produtividade das cooperativas

É preciso ter em mente que a transformação digital tem como objetivo utilizar soluções tecnológicas para melhorar a vida das pessoas, e trabalhar com processos digitais é o primeiro passo para que a transformação aconteça.

A implementação da automação inteligente de processos nas cooperativas oferece uma série de benefícios para o aumento da eficiência operacional. Entre eles estão:

Redução do tempo de resposta ao associado

Com maior fluidez dos processos, o desempenho da equipe é otimizado. Dessa forma, há redução no tempo de execução das tarefas e do esforço necessário para o seu cumprimento. Assim, o cooperado também se beneficia da automação, tendo suas necessidades atendidas de forma mais rápida e assertiva.

Controle e transparência de informações

As cooperativas têm o desafio de lidar com diversos documentos diariamente, o que dificulta o acesso às informações. Com a automação de processos, é possível resolver esse gap, tornando o acesso aos dados mais simples e rápido.

Menos papéis, planilhas e e-mails

Com a integração de sistemas, as folhas impressas e o tráfego de informações dentro da cooperativa são reduzidos de forma significativa, aumentando a produtividade dos colaboradores e diminuindo o tempo de execução dos processos.

Considerações finais

Para dar conta do novo mercado, as cooperativas precisam aumentar sua eficiência operacional, e o passo mais importante a ser dado envolve olhar para os processos em execução e melhorar sua assertividade. 

É hora de desapegar dos processos analógicos para escalar os serviços prestados, otimizar a experiência dos associados e facilitar o crescimento dos negócios.

Após a crise provocada pela pandemia, 64,6% das cooperativas aceleraram a promoção de inovações, e a nossa plataforma está auxiliando as cooperativas em suas jornadas de transformação digital. 

Quer saber mais? Confira nosso webinar sobre transformação digital nas cooperativas brasileiras!

Tiago Amor
VP de Vendas – Lecom Tecnologia
Luis Carlos Krupp
CEO da Krupp Consultoria
Rodrigo Junqueira
Diretor da Nexum
Marketing Lecom

Marketing Lecom

A Era Digital não alcança somente startups e empresas altamente inovadoras, é preciso mudar o paradigma de como unidades de negócio e tecnologia desenvolvem e entregam processos digitais e resultados na organização. Quer saber como tornar o seu negócio relevante no universo digital ? Chama no chat!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conteúdos relacionados

Sobre Nós

Líderes em Automação Inteligente de Processos.

Visite nosso site!

Artigos recentes

Curta nosso facebook

Automação inteligente Lecom

Reproduzir vídeo

Assine nossa news

Cadastre seu e-mail e receba nossas atualizações