Quais as diferenças entre RPA e Automação Inteligente de Processos?

Compartilhe

Share on linkedin
Share on twitter
Share on facebook
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Com os avanços da automação no mercado, muitas empresas têm dúvidas sobre quais tecnologias são realmente capazes de gerar valor para os negócios.

Uma pesquisa realizada pelo MarketsandMarkets indica que o mercado de Automação Inteligente de Processos terá um crescimento médio anual de 12,9% entre 2018 e 2023, quando alcançará 13,75 bilhões de dólares, contra 6,25 bilhões de dólares em 2017.

Já um estudo feito pela Forrester Consulting revela que 50% das empresas pretendem investir mais em robôs digitais para a automação de processos. A previsão é de que a receita global de softwares de RPA alcance US$ 1,89 bilhão em 2021, um aumento de 19,5% em comparação a 2020.. 

Como você pode ver, ambas as tecnologias devem ganhar cada vez mais espaço nos negócios. Mas afinal, qual das duas é a melhor escolha para a sua empresa?

Para adotar as estratégias corretas, você deve compreender as diferenças entre Robotic Process Automation (RPA) e Automação Inteligente de Processos.

O RPA é um tipo de automação que imita a maneira como os seres humanos interagem com softwares e, geralmente, é utilizado para automatizar tarefas simples, liberando os colaboradores de atividades repetitivas que não agregam valor estratégico aos negócios.

Em outras palavras, os robôs de RPA atuam como “trabalhadores digitais” que ficam disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana para a realização de tarefas operacionais pré-definidas, o que aumenta a capacidade produtiva das empresas.

Já a Automação Inteligente de Processos combina BPM (Business Process Management), RPA (Robotic Process Automation), Inteligência Artificial e outras tecnologias que fazem acontecer a Transformação Digital das empresas.

Ou seja, a Automação Inteligente de Processos empacota diversas tecnologias, integrando-as aos fluxos de trabalho de negócios de diversos setores, como o processamento de faturas, o gerenciamento de contratos e os fluxos de compras.

Por ser uma abordagem capaz de estruturar dados ainda não sistematizados, a Automação Inteligente de Processos dá contexto a essas informações, permitindo que as empresas automatizem fluxos de ponta a ponta e tarefas repetitivas de maneira estratégica e assertiva, combinando o melhor de diferentes recursos tecnológicos.

Agora que você sabe o que é RPA e o que é Automação Inteligente de Processos, chegou o momento de entender as diferenças entre essas duas soluções.

De acordo com Banwari Agarwal, chefe global de negócios de nuvem, infraestrutura e segurança cibernética da Larsen & Toubro Infotech (LTI), o RPA é puramente robótico e não depende de inteligência para operar. Ou seja, é uma tecnologia interessante para empresas com processos já bem definidos e baseados em regras claras de negócio.

A Automação Inteligente de Processos, por sua vez, oferece um escopo de trabalho mais amplo, podendo lidar com realidades distintas e diversos formatos de dados e rotinas a fim de gerar experiências digitais assertivas e eficiência nas tomadas de decisão.

Em outras palavras, pode-se afirmar que enquanto o RPA atua em nível operacional específico, a Automação Inteligente de Processos está relacionada a questões estratégicas para os negócios, automatizando e otimizando os fluxos de ponta a ponta, e orquestrando as Ações Humanas, Sistemas e RPAs de forma organizada e única nos processos.

É bastante comum que as empresas iniciem seus projetos de automação com RPA, já que, como destacado, a tecnologia permite a criação de robôs de forma fácil para automatizar tarefas repetitivas simples.

Porém, ao ganharem maturidade, as organizações normalmente precisam reavaliar maneiras de estender esses recursos, pois sentem a necessidade de trazer mais inteligência e viabilizar formas de orquestrar todos os dados e aplicações.

Como as plataformas de Automação Inteligente de Processos têm como objetivo justamente a orquestração dos processos, elas conectam os departamentos das empresas para integrar as informações entre todas as partes (incluindo os dados necessários para o RPA atuar de forma mais eficiente).

Então, ao adotar uma plataforma de Automação Inteligente de Processos, o RPA já se conecta com funcionalidades mais sofisticadas como a Inteligência Artificial, o que torna os projetos de automação das empresas cada vez mais estratégicos.

Para saber mais sobre o assunto, assista ao nosso webinar “Transformação do Negócio na Prática com BPM + RPA”.

Mario Oliveira
Head of Sales Lecom
Marketing Lecom

Marketing Lecom

A Era Digital não alcança somente startups e empresas altamente inovadoras, é preciso mudar o paradigma de como unidades de negócio e tecnologia desenvolvem e entregam processos digitais e resultados na organização. Quer saber como tornar o seu negócio relevante no universo digital ? Chama no chat!

Conteúdos relacionados

Sobre Nós

Líderes em Automação Inteligente de Processos.

Visite nosso site!

Artigos BPM

Curta nosso facebook

Automação inteligente Lecom

Reproduzir vídeo

Assine nossa news

Cadastre seu e-mail e receba nossas atualizações