Plataforma Lecom

Design Thinking: Inovar e Agregar Valor ao Cliente

Design Thinking: Inovar e Agregar Valor ao Cliente

  O que é Design Thinking? “É um pensamento crítico e criativo que permite organizar informações e ideias, tomar decisões, aprimorar situações e adquirir conhecimento.” – Charles Burnette Mas como torná-lo inovação para agregar valor ao cliente? Não basta inventar novos modelos de relacionamento, novos processos ou produtos; é necessário incorporá-los à esfera social, a fim de que a ideia seja testada pelo usuário final. Caso seja aprovada, utilizada e reutilizada, será considerada uma inovação que agregou valor ao cliente. No entanto, para que tenhamos o Continue lendo

Você sabe o que é iBPM?

Você sabe o que é iBPM?

Você já ouvir falar em iBPM? Sabe o que é iBPM e para quê serve? Ao longo desse artigo tiraremos suas dúvidas! Também vamos tratar sobre a ‘próxima onda’ de aplicativos de negócios centrados no cliente através do Intelligent Business Process Management ou Gestão de Processos de Negócios Inteligente (iBPM). O que é iBPM? Antes de tudo, qual a razão deste ‘i’ de Intelligent antes de BPM? De uma forma geral, existem vários motivos. Como: casos dinâmicos envolvendo os trabalhadores do conhecimento, ferramentas social/collaboration, mobile, Continue lendo

Por que investir em BPM se a empresa ja possui ERP?

Por que investir em BPM se a empresa ja possui ERP?

Não é novidade que as soluções BPM e ERP caminham de mãos dadas no dia a dia das organizações. Dentro de um projeto de implantação de um ERP, o tema BPM será recorrente e vice-versa. E por que investir em BPM? Para os CIOs, o papel de ambas as tecnologias está bastante clara. Porém, por outro lado, para os CFOs e CEOs, é comum surgir a dúvida: “Se nós já temos um sistema de informação (por exemplo, um ERP) que gerencia todos os processos da Continue lendo

Por que precisamos de Frameworks de Processos?

Por que precisamos de Frameworks de Processos?

Holly Lyke-Ho-Gland (Gerente de programa de pesquisa) publicou no blog da APQC (organização sem fins lucrativos e uma das principais defensoras do mundo de aferição de negócios, melhores práticas e investigação de gestão do conhecimento), um interessante artigo sobre os motivos pelos quais precisamos de Frameworks ou Estruturas de Processos. Recentemente, o meu filho adolescente começou a se preparar para sua inevitável independência, aprendendo a cozinhar. Tudo começou com uma simples brincadeira, eu disse a ele que não se pode viver para sempre a base Continue lendo

Construindo uma nova realidade – Business Transformation

Construindo uma nova realidade – Business Transformation

Construindo uma nova realidade – Business TransformationBuscando identificar a influência do coletivo sobre o indivíduo, Solomon Asch conduziu uma pesquisa em psicologia social na década de 1950 (Asch Conformity Experiment) que apresentava cartas com desenho de traços para um grupo de pessoas, sendo um dos traços o padrão de comparação e os demais traços de tamanhos distintos que deveriam ser comparados ao padrão. O grupo era formado por uma pessoa pesquisada (que nada sabia) e vários atores que tinham sido instruídos com antecedência sobre a Continue lendo

BAM: Quem vive de passado é museu

BAM: Quem vive de passado é museu

“Quem vive de passado é museu”. Aposto que você já ouviu essa máxima diversas vezes. Porém, quantas vezes você a aplicou no seu dia-a-dia empresarial? Business Activity Monitoring (BAM) é uma tecnologia que nos permite gerenciar o presente e tomar decisões baseadas no que de fato está acontecendo, e não no que já passou. A análise desses dados que são gerados em tempo real nos dá a vantagem competitiva de acompanhar o mundo corporativo na velocidade que ele acontece e assim posicionar a nossa organização Continue lendo

Por que falar sobre transformação de negócios agora?

Por que falar sobre transformação de negócios agora?

Vivemos um momento de profundas transformações na sociedade. Estamos cada vez mais informados e conectados. Com isso, nos tornamos mais conscientes e capazes de realizar nossas próprias escolhas. Muitos de nós, movidos por aspirações e valores superiores, passam a repensar o significado do trabalho em suas vidas, assim como a reconhecer as restrições e limites das atividades econômicas usuais. Esse cenário traz riscos e oportunidades para as empresas, que precisarão se reinventar para sobreviver no longo prazo frente às crescentes demandas de clientes, colaboradores, sociedade Continue lendo

Design Thinking

Design Thinking

Criar boas experiências para seu cliente final: essa deveria ser a principal missão de qualquer organização. Afinal, quando proporcionarmos uma excelente experiência para nosso consumidor, associamos nossos produtos e serviços a momentos memoráveis e evitamos que se tornem commodities com sua margem de lucro espremida. Além disso, criamos uma imagem positiva perante esse público e nos mantemos como uma marca de alta credibilidade e lealdade para nossos consumidores. Parece óbvio cuidar da experiência da consumidor, não? Porém, isso não é simples de ser realizado. Para Continue lendo

Você acha que BPM e Segurança da Informação são assuntos distintos?

Você acha que BPM e Segurança da Informação são assuntos distintos?

A Gerente de Programa de Pesquisa Holly Lyke-Ho-Gland publicou em seu blog da APQC (organização sem fins lucrativos e uma das principais defensoras do mundo de aferição de negócios, melhores práticas e investigação de gestão do conhecimento), um interessante artigo sobre BPM e Segurança da Informação. O objetivo foi entender os desafios e as ameaças à segurança da informação e como colocar as melhores práticas de segurança no local, sem enfraquecer as operações de negócios. Para isso, Lyke-Ho-Gland conversou com Ken Lobenstein, Diretor Sênior de Segurança Continue lendo

Cada caso é um caso – Jornada do Cliente

Cada caso é um caso – Jornada do Cliente

Ao contrário de produtos e serviços, que podem ser padronizados e ofertados em escala, experiências são únicas: duas pessoas nunca podem ter a mesma experiência. Toda jornada de cliente é específica, e por isso sua gestão será sempre mais complexa que a gestão de processos internos padronizados. Como então conciliar a busca por produtividade com a entrega de experiências individualizadas aos clientes? O conceito emergente de caso busca endereçar esse desafio. Pense inicialmente em um paciente que acaba de chegar num hospital. Por mais que se tenha uma Continue lendo

Jornada do Cliente

Jornada do Cliente

Já ouviu falar em Jornada do Cliente? Vivemos diariamente em busca de experiências prazerosas e encantadoras em nossas vidas, sejam elas pessoais ou profissionais. No papel de cliente não é diferente. Os clientes buscam cada vez mais a experiência que o produto pode lhe proporcionar. Atualmente, a maioria dos consumidores, considera pagar mais caro para ter um produto ou serviço que lhe encante. Essa experiência não pode ser mensurada por modelos quantitativos, trata-se da relação com o valor percebido. Segundo 84% dos profissionais de marketing, Continue lendo

Projeto é processo e vice-versa?

Projeto é processo e vice-versa?

Por Raphael Albino, Colunista do Blog Lecom Usualmente, ao iniciar a primeira aula sobre gerenciamento de projetos, o docente costuma logo de cara conceituar a diferença entre processo e projeto. Em tempos onde existe uma miscelânea de conceitos e vários “gurus-videntes-geradores-de-abobrinha” espalhados por aí, gostaria de trazer neste texto uma visão simplificada e objetiva diferenciando duas importantes estratégias nas quais as organizações se deparam em seu dia-a-dia: processo e projeto. Podemos enxergar as organizações como uma instituição repleta de processos que são executados continuamente para Continue lendo

O que não é gestão ágil de projetos?

O que não é gestão ágil de projetos?

Por Raphael Albino, Colunista do Blog Lecom Volta e meia participo de discussões onde o tema central da conversa diz respeito a modelos ou sugestões de formas mais enxutas, otimizadas ou ágeis para se administrar projetos. A origem das conversas normalmente gira em torno da concepção de que o PMBok ou qualquer outro framework de gestão tradicional de projetos é muito complexo e burocrático. Gostaria de deixar claro desde o inicio desta elucubração que não sou a favor de pensamentos carregados por paradigmas, afinal de Continue lendo