As 3 definições mais usadas para o “BPM” no mundo corporativo

Na realidade e no cotidiano corporativo, vem ganhando cada vez mais importância e freqüência a utilização da expressão “BPM”. Mas será que todas as pessoas que mencionam essa sigla estão fazendo referência à mesma temática ou à mesma abordagem sobre determinado âmbito de gestão? A verdade é que o termo pode ter mais do que uma definição. Para que tenhamos uma abordagem de alto nível sobre o assunto aqui no Blog Lecom, convidamos a participar do Lecom em Ação de hoje nosso parceiro, especialista em processos e Diretor de Processos da ProcessMind, Maurício Santos. Com um breve artigo sobre a questão, Maurício procurou esclarecer um pouco sobre as diferentes abrangências do termo “BPM”. Boa leitura! As relações, interações e diferenças entre os diferentes “BPM” No ambiente da gestão corporativa, e particularmente, da gestão de processos, é comum depararmos com a sigla BPM como denominação da prática nas empresas, seja em livros, palestras, cursos, eventos entre outros materiais de marketing e conhecimento. Porém, dependendo do contexto em que é utilizada, BPM pode ter diferentes definições, sendo que as três mais comumente usadas são:

  • BPM como metodologia de mapeamento (“Business Process Modeling”, ou Modelagem dos Processos de Negócio): neste caso, estamos falando da atividade voltada à análise e mapeamento dos processos através de ferramentas e notações padrão de mercado, com o objetivo principal de desenhar os fluxos de atividades de um processo. Como notações de mapeamento as mais utilizadas são o EPC (event process chain) ou o BPMN (mais uma sigla! – “Business Process Modelling Notation”). E as ferramentas de sistema utilizadas para o mapeamento são as mais diversas, desde planilhas ou editores de texto até ferramentas disponibilizadas somente para este fim.
  • BPM como avaliação de desempenho (“Business Performance Management”, ou Gestão da Performance dos Negócios): denominação bastante utilizada pelas áreas de gestão de informação das empresas, neste caso BPM está relacionada à disciplina de definição, medição e análise crítica dos indicadores de desempenho da empresa, seja no nível estratégico ou operacional. Em termos de tecnologia, normalmente são utilizadas ferramentas de BI (business intelligence), BPMS (business process management system) ou ERP (enterprise resource planning) para geração de dados que serão utilizados para cálculos dos indicadores. Um a verdadeira sopa de letrinhas!
  • BPM como programa de gestão (“Business Process Management”, ou Gestão ou Gerenciamento dos Processos de Negócio): Aqui a sigla BPM é utilizada da forma que consideramos a mais abrangente e completa. Mais do que uma disciplina ou atividade, BPM representa a própria prática de gestão da empresa através de uma visão de seus processos de negócio. Esta prática engloba várias disciplinas de trabalho como o Mapeamento, Automação, Melhoria, Inovação e Gestão do Desempenho dos processos de negócio.

Como se vê, a sigla pode ser utilizada de diversas formas, dependendo do objetivo do interlocutor e do que se quer realizar. O mais relevante, porém, é a constatação que a gestão processos vem se tornando cada vez mais importante para as empresas, consolidando-se como uma disciplina ou programa que efetivamente ajuda as organizações a atingirem novos patamares de performance e, consequentemente, melhorarem seu resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.